LED

A palavra LASER vem da sigla inglesa “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation”, ou seja, amplificação da luz por emissão estimulada da radiação. Em outras palavras, o laser é uma radiação eletromagnética não ionizante e pode ser visível ou invisível.

LED é o acrônimo de “Light Emiting Diode” (diodo emissor de luz). Ao contrário do laser, o LED não é monocromático, e os seus comprimentos de onda são mais baixos que no laser. Neste caso, a luz é emitida através de uma fonte elétrica, denominando-se eletroluminescência.

A fototerapia é a aplicação da fotobiomodulação em forma de terapia. O Laser e o LED são um tipo de radiação eletromagnética não ionizante e monocromática, respectivamente, que melhora a qualidade e acelera o processo de reparo tecidual, quadros de edema e dores crônicas e agudas. Induz efeitos trófico-regenerativos, anti-inflamatórios e analgésicos e promove um aumento na microcirculação local, na circulação linfática, proliferação de células epiteliais e fibroblastos, assim como aumento da síntese de colágeno.

A diferença entre o Laser e o LED está na formação da luz. O diodo laser está contido dentro de uma cavidade óptica, e proporciona feixes de luz coerentes e colimados (pontual). Já no LED não existe esta cavidade óptica, desprovendo a luz de coerência e colimação, mas produz uma banda de espectro eletromagnético próxima do laser. Os resultados dos dois são semelhantes, sendo que existem 4 cores de LED utilizados em estética.

LED com luz visível azul tem ação bactericida, no tratamento da acne, devido à bactéria Propionium bacterium ser extremamente sensível à luz. Se a aplicação for imediata, no início do processo inflamatório, além de acelerar a fisiologia da inflamação reduz as lesões e consequentemente a dor. Regulariza a secreção das glândulas sebáceas ajudando a secar espinhas e diminuir a oleosidade.  A deposição de energia através da luz azul estimula compostos presentes na melanina, promovendo o clareamento de manchas faciais, olheiras, axilas e virilha. Também promove hidratação facial.

O LED com luz visível verde apresenta efeito rejuvenescedor atuando na síntese de fibroblastos, aumentando a deposição de colágeno tipo I e reduzindo a atividade da colagenase nas papilas dérmicas. Atua aumentando a produção de colágeno e elastina da derme.

O LED com luz visível vermelha apresenta efeito rejuvenescedor, devido a atuar na derme como ativadora de fibroblastos e células de reorganização e firmeza da pele, além de inibir as enzimas colagenase e elastinase. Tem ação bioestimulante e regeneradora, promovendo o rejuvenescimento das células; combate às linhas de expressão e a flacidez e estímulo ao colágeno. Também atua no processo inflamatório inibindo a enzima ciclooxigenase e as prostaglandinas, podendo ser usado também para o tratamento da acne.

O LED com luz visível âmbar estimula a síntese de colágeno e espessamento homogêneo das fibras, que confere ao rosto uma expressão saudável. Estimulo ao metabolismo celular.  Tratamento de celulite, gordura localizada e estrias. Hidratação e iluminação facial.

Indicações da fototerapia: acne em qualquer grau, hidratação dos tecidos faciais, manchas provocadas por radiação solar, gravidez e contracepção, marcas de expressão, iluminação facial (efeito Cinderela), alopecia, (tratamentos capilares), gordura localizada, micropigmentação, terapia anti-aging, revitalização cutânea, clareamento periocular (olheiras), estrias, pré e pós operatório  como melhorar a circulação e reduzir dor e edemas (inchaço).  A utilização do LED e do laser, em conjunto ou isoladamente, na Fototerapia, tem a oportunidade de tratar diversas alterações cutâneas de forma indolor, não invasiva e com resultados rápidos.